segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Fairytale...


Quem nunca teve um conto de fadas? Até eu posso ter um conto de fadas não? :)
Quando chega esta altura do Carnaval lembro-me sempre do meu...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Minha Linda!

Together...

Something just isn't right
I can feel it inside
The truth isn't far behind me
You can't deny

When I turn the lights out
When I close my eyes
Reality overcomes me
I'm living a lie

When I'm alone I
Feel so much better
And when Im around you
I don't feel

[Chorus:]
Together
It doesn't feel right at all
Together
Together we've built a wall
Together
Holding hands we'll fall
Hands we'll fall

This has gone on so long
I realize that i need
Something good to rely on
Something for me

When I'm alone I
Feel so much better
And when Im around you
I don't feel

[Chorus]

My heart is broken
I'm lying here
My thoughts are choking on you my dear
On you my dear
On you my dear

When I'm alone I
Feel so much better
And when Im around you
I don't feel

[Chorus x2]

When I'm around you
When I'm around you
I don't feel together
I don't feel together
When I'm around you
When I'm around you
I don't feel together, no
I don't feel together

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Portugal Tem Talento 4º programa Castings Electric Vibes


Parabéns Murat :)

Going Down.

Sim, é uma nova história de terror! E é para ti Ricardo, o meu fã número um desde à muito tempo!
(Tenham calma, esta deve demorar a escrever ...)

Ohh...I hate mondays! Levantei-me da cama, e vim para baixo enrolada nos cobertores, meio aos tropeções. Horas...horas...onde será que pus o relógio...horas...Ah! Aqui estás! Adoro este relógio. Foi uma prenda de anos do meu pai, quando fiz doze anos. É uma rã verde muito gira, que pisca os olhos e canta de hora em hora. É mesmo fofa. Cinco e quarenta e oito...Ai, ainda é tão cedo! Provavelmente andei a passear outra vez pela casa e não dei conta...aposto que foi por isso que acordei tão cedo! Vamos lá ver os estragos. Desci as escadinhas em caracol desde o meu quarto até à sala. Livros fora do sítio, pratos (cacos) no chão, sofás virados ao contrário, tudo do avesso. Bonito, andei sonâmbula pela casa ontem à noite e pelos vistos não estive a fazer nada de bom.
Tomei a minha torrada e o meu sumo de laranja ao pequeno almoço, tal como tomo diariamente. Logo de seguida fui tomar um duche relaxante...sentia-me tão cansada e só tinha acordado à pouco mais de meia hora.

Roo

Eu sei dizer obrigado, e sabes bem que eu te estou agradecida por tudo o que fizeste por mim. Desculpa.

SMILE



A imagem perfeita...


And even after u appeared... i feel that those dead caracters scream to me
COME PLAY WITH US!

Medium...


Ahahaha...Juro que não tem piada.

És um sonho... ou um pesadelo...?

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Noites de verão


Apetece-me ter daquelas noites de verão com a lua a iluminar o céu todinho e estar à beira mar de meia manga a sentir só uma brisa a percorrer-me. Apetece-me não conseguir tirar os olhos do céu...

Quase consigo sentir...
Well....i think its time for a change :)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

:(

Estou tão em baixo neste momento...parece que me passou um camião por cima... :(

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

The more u c, the more u want, the more u get, the more u like!

Lips of an angel


Honey why are you calling me so late?
It's kinda hard to talk right now.
Honey why you´re crying? Is everything okay?
I've gotta whisper 'cause I can't be too loud

Well, my girls in the next room
Sometimes I wish she was you
I guess we never really moved on
It's really good to hear your voice saying my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel
Hearing those words just makes me weak

And I
never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel

It's funny that you're calling me tonight
And, yes, I've dreamt of you too
Does he know you're talking to me?
Will it start a fight?
No I don't think she has a clue.

Well, my girls in the next room
Sometimes I wish she was you
I guess we never really moved on
It's really good to hear your voice saying my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel
Hearing those words just makes me weak.

And I
never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel


It's really good to hear your voice saying my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel
Hearing those words just makes me weak.

And I
never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel (x2)



Honey why are you calling me so late?

Broken Arrow ...

What do you do when you're stuck,
'cause the one that you love,
has pushed you away,
and you can't deal with the pain,
and now you're trying to fix me,
mend what he did,
and find the piece that i'm missing,
but I still miss him,
I miss him, I'm missing him,
oh i miss him, I miss him I'm missng him

And you're sitting in the front row,
wanna be first in line,
waiting by my window,
giving me all your time,
you could be my hero,
if only I could let go,
but his love is still in me,
Like a broken arrow. Oh whoa,
like a broken arrow.

he's the thorn in my flesh
that I can't dig out
he's stealing my breath
when you're around,
and now you're trying to convince me,
he wasn't worthy,
but you can't complete me,
He's the part that is missing,
i miss him, I'm missing him,
oh I miss him I miss him, I'm missing him,

and you're sitting in the front row,
wanna be first in line,
waiting by my window,
giving me all your time,
you could be my hero,
if only I could let go,
but his love is still in me,
live a broken arrow, oh whoa,
like a broken arrow.

what do you do...
when your hearts in two places?
you feel burnt and you're torn inside.
you feel love but you just can't embrace it,
when you found the right one at the wrong time.

and you're
standing in the front row,
wanna be first in line,
waiting by my window,
giving me all your time,
you could be my hero,
if only i could let go,
but his love is still in mee,
like a broken arrow oh whoa
like a broken arrow...

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Até ela me odeia,

Desculpa mas vou ter que te matar.
Eu não consigo viver mais assim.
Sempre a chorar, sempre a gritar!
Um dia vai ser mesmo o nosso fim!

Com um punhal enterrado no coração,
Eu termino agora a tua existência,
Onde habitas (ou costumavas habitar),
Eu extermino a minha consciência.

Mereces muito mais do que posso dar,
Muito mais do que te posso oferecer.
Muito menos do que não mais respirar,
Isto achei que o devias bem saber.

Peço desculpa se este tempo te enganei,
Isto não era de todo a minha intenção.
Mas fica sabendo que também te perdoei,
Mesmo sendo tu a razão da minha extinção.

Acho então que também devo ser absolvida,
Desta condenação perpetuadamente selada,
Esta mesma que me virá a tirar a vida,
Nesta noite, sob esta lua intimidada.

Keep your face down

Eu digo que isto não custa. Isto não doí,
Tu prometes que não voltará a acontecer.
Ages como louco, dizes só mais um pouco,
Mas eu sei. Só vai parar quando eu morrer.

Mantenho a minha face virada para baixo
Pois tu dizes que odeias ver-me chorar.
E enquanto me gritas, humilhas e agrides,
Eu penso numa razão para te poder matar.

Enquanto me disponho inerte pelo chão,
Penso que só tenho de aguentar mais hoje.
Só mais hoje e vai tudo mudar então,
Mas vejo que esse dia ainda vem longe.

Não sei que fazer, nada vai resultar,
E admito, tenho a plena consciência,
De que para sempre isto vai continuar.
Mas só até ao dia do fim da inocência.

Só tenho de esperar até aquele maldito dia,
Em que com que este punhal te vou perfurar.
Tenho de começar a sorrir mais e a tratar melhor de mim. Tenho de deixar de me preocupar tanto com os outros. Tenho de tentar ser feliz. A ver se deixo de ser maluca.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Nem tenho palavras para expressar o que sinto neste momento...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Só queria ter a coragem...já está mais que na hora...Bem..pelo menos sei que tentei.

2ª versão

(a minha primeira história com um final feliz :x)

Sabia que ia ser a única e a última noite. Fazer amor, como ele insiste em chamar.
Não sabia que estava a fazer, mas sei que queria e muito. Uns beijos muito intensos depois e ele olha-me com um sorriso mesmo tarado e começa a desapertar o fecho do vestido preto com que tinha ido à festa de anos dele. Retribui o olhar e senti-o estremecer. Nervoso, talvez, excitado, quem sabe. Devagarinho começamos a envolver-nos e passado alguns minutos já parecia que nos encontrávamos na selva, pois o desejo era tanto.
Não é preciso pormenores.
Pouco a pouco fui-me apagando, e adormecemos naquela noite de verão, com a luz da lua a entrar pela janela do quarto, abraçados um ao outro, com medo de que um de nós pudesse fugir. Lembro-me de sentir os lábios molhados dele contra o meu pescoço, e o seu respirar contra o meu corpo. Lembro-me de, coberta apenas pelo lençol branco, sentir a aragem que vinha da janela aberta e de pensar que não queria que esta noite acabasse, nunca.
Quando acordei de manhã ele estava ao meu lado, já acordado a olhar para mim. Olhei o seu corpo nu e bloqueei, na cara dele. Ele começou a ficar envergonhado e escondeu-se debaixo dos lençóis. Eu descobri-o e ele muito rapidamente atirou-se para cima de mim, ficando bloqueada (e protegida) pelos seus braços musculados.
- Amo-te, sabes disso?
- Não, não sabia. - respondi eu.
- Mas amo. Desculpa o atraso...Casa comigo.
- Sim.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Amo-te, desculpa.

(Muito resumida... L' )


Sabia que ia ser a única e a última noite. Fazer amor, como ele insiste em chamar.
Não sabia que estava a fazer, mas sei que queria e muito. Uns beijos muito intensos depois e ele olha-me com um sorriso mesmo tarado e começa a desapertar o fecho do vestido preto com que tinha ido à festa de anos dele. Devagarinho começamos a envolver-nos e passado alguns minutos já parecia que nos encontrávamos na selva, pois o desejo era tanto.
Não é preciso pormenores.
Pouco a pouco fui-me apagando, e adormecemos naquela noite de verão, com a luz da lua a entrar pela janela do quarto, abraçados um ao outro, com medo de que um de nós pudesse fugir.
Quando acordei de manhã ele não estava na cama. Pensei que se tinha ido embora. Contava dar-lhe um beijo mais, antes da despedida, mas ele nem me deu essa hipótese. Bem, também não importava, eu sabia que era só mais uma, que não tinha qualquer valor e que não devia ter qualquer esperança. Ele fez questão de o dizer antes do jantar de ontem.
Levantei-me e fui fazer o meu pequeno almoço para ir para o trabalho. Depois ia tomar um banho...mas quando entrei no quarto de banho vi-o, esvaído em sangue, com uma mensagem escrita no corpo: "Amo-te, Desculpa" e todo pintado com o meu bâton.
Não queria acreditar que ele tinha morrido. Pior, não queria acreditar que ele tinha sido o único rapaz que me amou e que tinha morrido!
Chamei a polícia e os agentes decretaram suicídio voluntário. Depois do funeral vim para casa. Entrei no quarto de banho e debrucei-me sobre o lavatório. De repente um flash veio-me à cabeça: o sexo, o champanhe, o banho juntos, a navalha, a cara dele....Eu tinha-o morto! Aquela mensagem era minha, para ele!
Decidi então juntar-me ao meu "amado". Peguei numa corda e atei-a a varanda e a minha cintura e atirei-me para o meu destino.
Amo-te, desculpa.

....

What a day....wow..